Dicas | Far Cry: New Dawn

Dicas | Far Cry: New Dawn

Um ano depois do lançamento de Far Cry 5, a Ubisoft lança o desfecho de sua história em Far Cry: New Dawn.

Assim como muitos jogadores pelo mundo, fui um daqueles que fiquei surpreso quando a produtora soltou que New Dawn estava a caminho.

Veja também:Dicas | Ace Combat 7

Pensei, “como assim?, é uma DLC, que raios é isso?”.

No final das conta fazia muita lógica, principalmente para quem jogou FC5.

O novo jogo acontece anos depois dos trágicos acontecimentos do game anterior, quando a bomba foi detonada e os que sobraram foram sobreviver nos subterrâneos.

Eles resolvem sair da superfície 6 anos após esta explosão e levam um bom tempo para iniciarem uma nova sociedade. Aqui vale um parentese. Criticada por esta parte de seu enredo, a Ubisoft informou que ela fez pesquisas e falou com especialistas sobre quanto tempo a natureza poderia se recompor pós um desastre deste tipo sem a interferência dos seres humanos. E é mais ou menos isso. Lógico que existem vários outros fatores, mas para a história apresentada em Far Cry New Dawn, ela é totalmente viável.

Veja também:Dicas | MuzArcade

Após a narração destes fatos, somos apresentados aos grandes vilões do jogo, que são os Salteadores, liderados pelas gêmeas Mickey e Lou, sendo a primeira a cabeça e a segunda a força.

De início elas são o clichê básico dos vilões da franquia, mas no decorrer do game tornam-se únicas e tem o seu legado dentro dos vilões de Far Cry.

Os desafios deste novo game são mais rápidos, o que achei divertido, pois não perdi tempo com missões desnecessárias. Pegar veículos, invadir bases inimigas para obter etanol e dar um up na minha base, além de enfrentar inimigos e proteger as vilas, foram partes que não cansaram.

Os inimigos são únicos, mas com uma Inteligência Artificial ainda meio burra, principalmente os NPCs. Os inimigos demoram horrores para saírem de seus esconderijos, barulhos que acordam um defunto e eles não percebem e os outros personagens que caem em armadilhas ridículas, demoram nas fugas para entrar nos carros e conseguem sair deles com o mesmo ainda em movimento.

Mesmo assim, é algo que estamos “acostumados” a nos irritar com outros games como Assassin´s Creed e tantos outros.

Só que isso não é algo que seja um grande ponto negativo, pelo contrário. É apenas o que as produtoras ainda não conseguiram arrumar.

E falar em arrumar, a Ubisoft merece o parabéns por ter contornado os bugs anteriores com personagens que muitas vezes ficavam congelados.

Outro destaque interessante, está nos cenários. São totalmente rosa! A empresa conseguiu fazer um game onde esta tonalidade é totalmente interessante e não cansa. E ela aparece em todos os momentos, até mesmo nos menus.

De maneira geral, eu gostei muito deste game e ele é sem dúvida alguma um dos melhores da saga Far Cry, sendo superior ao anterior, com um personagem carismático, que é o seu herói e vilões que crescem de acordo com a história.

Jogo analisado com código fornecido pela Ubisoft.

Gameplay: Projeto Electrosphere

Related Post

Deixe uma resposta