Quando o problema é A Matemática

Quando o problema é A Matemática

Na minha infância sofri com os números! Eles não entravam na minha cabeça. Tabuada, soma, divisão, depois os problemas e problemas a mais com isso tudo.

Eu me achava um burro, principalmente quando tinha que somar alguma coisa e era mais ou menos, no exemplo besta 1+1=11.

Na realidade os número menores até eram simples de serem feitos. O grande problema estava que eu simplesmente trocava os números.

Para ficar mais simples: eu tinha “dificuldade em entender conceitos relacionados a números, usar símbolos ou funções necessárias para o sucesso em matemática.”

E como ficavam as notas? Pois bem, nem preciso comentar. E isso continuou na fase adulta, o que me atrapalhou muitas vezes no vestibular – ainda bem que fiz humanas -, e me reprovou em Concursos Públicos, além de ter passado vergonha milhões de vezes no trabalho, em bares, etc, onde a matemática se faz sempre necessária.

Apenas depois dos meus 40 anos, fui descobrir que eu não era um burro ou tive uma base fraca. Eu tenho Discalculia, ou seja, uma deficiência de aprendizagem específica em matemática.

Mas o que é isso realmente? Vamos ao texto do blog Vittude que possui uma explicação muito simples.

“Trata-se de uma condição que dura por toda vida de um indivíduo. A discalculia torna difícil para as crianças realizar tarefas relacionadas a matemática. Não é tão conhecido ou compreendido como a dislexia. Mas alguns especialistas acreditam que é tão comum quanto.

Não se sabe com certeza se a discalculia é mais comum em meninas ou em meninos. Mas a maioria dos especialistas concorda que é improvável que haja alguma diferença significativa.

Crianças com este problema de aprendizagem têm problemas com muitos aspectos da matemática. Muitas vezes eles não entendem quantidades ou conceitos como o maior contra o menor. Eles podem não entender que o número 5 é o mesmo que a palavra cinco. (Essas habilidades às vezes são chamadas de sentido numérico).

Crianças com discalculia também têm problemas com a mecânica de fazer matemática, como ser capaz de recordar fatos de matemática. Eles podem entender a lógica por trás da matemática, mas não como ou quando aplicar o que sabem para resolver problemas de matemática. Eles também lutam com a memória de trabalho. Por exemplo, eles podem ter dificuldade em manter os números em mente ao fazer problemas de matemática com várias etapas.

A discalculia passa por muitos nomes. Algumas escolas referem-se a ela como uma deficiência de aprendizagem em matemática. Os médicos às vezes a chamam de desordem matemática. Você pode até ouvir crianças e os pais chamando de dislexia matemática. (O termo dislexia matemática não é correto, uma vez que a discalculia e a dislexia não são a mesma coisa).”

Portanto, para deixar claro de uma pessoa que convive diariamente com isso e parou de ter vergonha depois de descoberto o problema é que:

  • Não chame seu filho de burro por não conseguir realizar a matemática;
  • Não ache que ele está “caçando borboletas” na hora da explicação;
  • Não force em decorebas da tabuada ou ficar maluco e se achando que é o culpado por seu filho não entender.

 

Entenda junto a ele o problema que está tendo. Desta maneira terá uma criança que poderá contar com seus pais para o resto de sua vida e não a deixar se sentindo culpada, o que poderá trazer sérios problemas de relacionamentos e outros transtornos para o resto de sua vida.

Related Post

Deixe uma resposta